Imprimir

Lição 4 - Jovens - 1º Trimestre de 2014

Tamanho da fonte:
Lições Jovens Discipulado

Lição 4 - Discipulando crianças
18 a 24 de janeiro

Lição 4 - 1º Trimestre de 2014


"Perguntaram [a Jesus]: 'Não estás ouvindo o que estas crianças estão dizendo?' Respondeu Jesus: 'Sim, vocês nunca leram: 'dos lábios das crianças e dos recém-nascidos suscitaste louvor'?" (Mt 21:16).

Prévia da semana: Quanto mais cedo formarmos discípulos para Cristo, melhor. Mas, às vezes, em vez de cultivar o talento e o entusiasmo dos jovens, dizemos: "Voltem quando estiverem mais velhos." Isso é um erro.
Leitura adicional: 2Cr 34:1-3; Mt 18:12-14; Hb 12:9-11; Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, capítulo 56; Testemunhos Para a Igreja, v. 4, p. 186-213; comentários da Lição em cpb.com.br, no link serviços/lições/comentários


Domingo

19 de janeiro


Força jovem

Lição - Introdução

A juventude de hoje está enfrentando decadência e depravação moral. Em 2011, o Centers for Disease Control and Prevention [Centros de Controle e Prevenção de Doenças] divulgou uma Inspeção de Comportamento de Risco da Juventude baseada em comportamentos que oferecem risco à saúde entre os jovens americanos. Em todo o país, 38,7% dos jovens já haviam ingerido álcool; 32,8% dos estudantes já tinham se envolvido em luta corporal; e 47,4% haviam praticado relações sexuais.* Muito dinheiro é gasto para obter estatísticas sobre os vários problemas de nossa juventude. Mas nós, como igreja, sempre soubemos que a origem desses problemas é o pecado. Desde que Adão e Eva quebraram a lei de Deus, o pecado tem se enraizado em nosso DNA. Ele não respeita etnia, gênero nem idade e infestou toda a criação.
O alvo principal de Satanás é os jovens. Ele conhece o potencial que eles têm e, ao mesmo tempo, sua inexperiência e ingenuidade. Jesus Cristo, nosso Criador, também sabe disso. Por isso, Ele disse em Marcos 10:14: "Deixem vir a Mim as crianças, não as impeçam; pois o Reino de Deus pertence aos que são semelhantes a elas." Se Jesus deu tanta atenção às crianças e aos jovens durante Seu ministério, é porque Deus tem um propósito muito especial para com a juventude.
Os jovens de hoje estão hipnotizados com o brilho das coisas do mundo. O adversário usa todos os meios possíveis para entrar em sua mente e dominar seus pensamentos. Por isso, você que é jovem precisa ser um instrumento nas mãos de Deus para resgatar outros que se encontram nas trevas.
Crianças, adolescentes e jovens são a força da igreja hoje. Sem deixar de lado a experiência dos mais velhos, precisamos, hoje mais do que nunca, como jovens, usar tudo o que temos e somos a serviço do reino de Deus.
* Morbidity and Mortality Weekly Report , "Youth Risk Behavior Surveillance System", www.cdc.gov/mmwr/pdf/ss/ss6104.pdf (acessado em 14 de novembro de 2012).
Mãos à Bíblia
1. As crianças hebreias desfrutavam um tratamento especial quando comparadas às crianças das antigas nações vizinhas. Leia o Salmo 127:3-5; 128:3-6; Jeremias 7:31; Deuteronômio 6:6, 7. Que valor Deus dá aos filhos? De que maneira uma compreensão adequada das Escrituras pode afetar nosso relacionamento com eles?
Educação, direito de primogenitura e muitas outras práticas culturais demonstravam claramente o valor das crianças na antiga cultura hebraica. Não é de admirar que Cristo tenha expandido para novas dimensões a posição já exaltada das crianças, em comparação com as culturas circundantes. Afinal, as crianças são seres humanos, e a morte de Cristo foi por todas as pessoas, independentemente da idade, um ponto que nunca devemos esquecer.

Jamala D. Swindle | Miami, Flórida, EUA

Topo


Segunda

20 de janeiro


Toque de amor

Lição - Evidência

É prática comum para os pais adventistas do sétimo dia dedicar seus filhos ao Senhor. Acontecia o mesmo no tempo de Cristo. "Alguns traziam crianças a Jesus para que Ele tocasse nelas" (Mc 10:13). A palavra tocar vem do grego haptomai que, de acordo com a tradução de Strong, significa, entre outras coisas, "apegar-se a". A palavra aparece 36 vezes na Bíblia. Vinte e oito delas estão relacionadas com a cura de doentes e enfermos. Mas em Marcos 10:13, não há evidência de crianças com necessidade de cura. Será que os que levaram aquelas crianças a Jesus queriam simplesmente que elas se unissem ao Messias?
Como discípulos de Cristo, nossa função é levar crianças a Jesus para que Ele possa "tocá-las". Comentando o texto de Marcos 10:13, Matthew Henry escreveu: "Não parece que precisassem de alguma cura para seu corpo, nem que fossem capazes de ser ensinadas. Porém, aqueles que estavam encarregados de seu cuidado acreditavam que a bênção do Senhor Jesus Cristo faria bem ao coração de cada uma delas; portanto, as levaram a Ele. Jesus mandou que as deixassem vir a Ele, e que nada fosse dito ou feito para impedi-las. As crianças devem ser dirigidas ao Salvador, assim que forem capazes de compreender Suas Palavras. Além do mais, devemos receber o reino de Deus como crianças pequenas. Devemos ser carinhosos com Cristo e com a Sua graça, assim como as crianças são para com seus pais, pajens ou professores."*
A Bíblia é clara ao dizer que nós também precisamos receber o Reino de Deus como criancinhas (Mc 10:15). A maioria das crianças é flexível e fácil de lidar. Quando vamos a Cristo como uma criança, demonstramos a Ele quanto somos vulneráveis e dependentes, e permitimos que Ele tenha maior acesso ao nosso coração.
Você já foi tocado por Cristo? Busque hoje mesmo esse toque de amor, na simplicidade de uma criança.
Pense Nisto
• Pense nas crianças de sua esfera de influência. Como você pode conduzi-las a Cristo?
• Como sua ligação com Jesus tem influenciado os que vivem ao seu redor, especialmente as crianças?
Mãos à Bíblia
Jesus sofreu as fragilidades e inseguranças da infância. Enfrentou os desafios que toda criança enfrenta na sua própria esfera. Sua experiência na infância foi outra maneira crucial pela qual nosso Salvador revelou Sua verdadeira humanidade.
2. Leia Lucas 2:40-52. O que isso ensina sobre a infância de Jesus?
"O menino Jesus não recebeu instrução nas escolas das sinagogas. A mãe foi Sua primeira professora humana. Dos lábios dela e dos rolos dos profetas, aprendeu as coisas celestiais. As próprias palavras ditas por Ele a Moisés para Israel, eram-Lhe agora ensinadas aos joelhos de Sua mãe" (Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 70). Medite nas incríveis implicações dessas palavras. O que elas nos ensinam sobre a humanidade de Cristo?

Hayden Jaques | Sydney, New South Wales, Austrália

Topo


Terça

21 de janeiro


Ensinar e influenciar

Lição - Exposição

Educação hebraica (Dt 6:6, 7; Sl 127:3-5; 128:3-6; Jr 7:31). Após Moisés ter repetido os Dez Mandamentos para Israel, ele instruiu os pais que os guardassem no coração e os ensinassem a seus filhos. Dessa forma, o plano de Deus era dar às crianças hebreias uma vantagem dupla – elas deveriam ser ensinadas tanto por instrução quanto pelo exemplo. Assim, as famílias de Israel se tornariam núcleos de adoração a Deus. Os resultados deviam ser uma bênção não somente para os pais, mas também para a nação inteira (Sl 127:3-5, 128:3-6).
Pelo ensino das Escrituras e sendo um modelo exemplar, os pais de hoje também podem transmitir essa bênção a seus filhos. Infelizmente, Israel se separou de Deus, e a sociedade decaiu ao ponto de até mesmo sacrificar seus filhos aos ídolos! Daí em diante, foi perdida a bênção que Deus queria conceder ao povo por meio do discipulado infantil.
A infância de Jesus (Lc 2:40-52). Apesar de os pais terrestres de Jesus não terem sido perfeitos, eles se esforçaram para não perder de vista os mandamentos de Deus e ensiná-los a seus filhos. Sua devoção era evidenciada pelo fato de que eles compareciam à Páscoa em Jerusalém a cada ano. Assim, Deus pôde usá-los na fase de desenvolvimento humano de Jesus. Eles e o restante da comunidade eram responsáveis por ensiná-Lo. Ele aprendeu como ser um judeu fiel por meio do exemplo deles. Aos doze anos, quando Jesus foi a Jerusalém, Ele ficou para trás para conversar com os professores e fazer perguntas. "Todos os que O ouviam ficavam maravilhados com o Seu entendimento e as Suas respostas" (Lc 2:47). A educação de Jesus O havia equipado com um sólido conhecimento e experiência espirituais. É interessante notar que Sua vida espiritual continuou a se desenvolver após esse acontecimento (Lc 2:52). Algumas pessoas acham desvantagem terem crescido em um lar cristão e não terem tido uma "experiência de conversão" radical. No entanto, o exemplo de Jesus mostra que ser criado em uma família cristã é o ideal de Deus para toda criança.
Curando as crianças (Mt 9:18-26; Mc 7:24-30; Lc 9:37-43; Jo 4:46-54). Jesus muitas vezes foi requisitado para curar crianças enfermas. O fato de Ele ter tomado tempo para fazê-lo, indica que aos olhos de Deus as crianças são tão valiosas quanto os adultos. Uma criança curada também pode dar testemunho ao longo de sua vida sobre o amor, bondade e misericórdia de Deus. Os esforços para influenciar crianças em assuntos espirituais jamais são perda de tempo.
Um aviso assustador (Mt 11:25, 26; 18:1-6, 10-14). As crianças tendem a confiar nos adultos e acreditar no que eles dizem. Essa confiança estrita pode, algumas vezes, ajudar as crianças a compreender as coisas espirituais mais claramente do que os adultos. Muitas vezes, os adultos tornam as coisas mais complicadas do que realmente são. O livro de Provérbios diz: "Instrua a criança segundo os objetivos que você tem para ela, e mesmo com o passar dos anos não se desviará deles" (Pv 22:6). E Jesus disse que nós devemos ser "prudentes como as serpentes e simples como as pombas" (Mt 10:16). Adultos amorosos devem aproveitar sua posição de confiança para influenciar positivamente as crianças em assuntos de fé e discipulado. Isso inclui ensinar os pequeninos a questionar e discernir as coisas por si mesmos.
Por outro lado, avisos severos são dados a qualquer um que tente tirar vantagem da confiança de uma criança. A essa classe de pessoas, Jesus disse: "Mas se alguém fizer tropeçar um destes pequeninos que creem em Mim, melhor lhe seria amarrar uma pedra de moinho no pescoço e se afogar nas profundezas do mar" (Mt 18:6). Assim Jesus declara o valor inestimável das crianças aos olhos de Deus. Anjos que contemplam a face do Senhor no Céu são enviados para guardá-las e protegê-las.
"Deixai vir a Mim os pequeninos" (Mc 10:13-16). Quando os discípulos viram os pais trazendo seus filhos a Jesus, eles os repreenderam. Parece que os discípulos pensavam que o tempo de Jesus seria mais bem aproveitado conversando com adultos. No entanto, o Mestre foi enfático e censurou os discípulos. A paternidade é um dos maiores exemplos de sacrifício humano em longo prazo. Aqueles pais queriam que seus filhos tivessem as melhores vantagens espirituais possíveis, então os trouxeram a Jesus para que fossem abençoados. E, a partir daí, deixaram um exemplo para nós também.
Jesus cresceu em uma família temente a Deus e conhecia pessoalmente as vantagens e bênçãos da instrução espiritual. Sua missão foi salvar a humanidade do pecado. Quanto mais cedo uma criança começar a ser discipulada, melhor será para ela e para a sociedade como um todo. O pensamento de perder sequer uma pessoa é inaceitável a Deus (Mt 18:12-14). Todos, sejam crianças ou adultos, são de igual valor aos olhos do Senhor. Por isso, Jesus estava mais do que satisfeito em segurá-las em Seus braços e abençoá-las. Seu exemplo nos ensina que as crianças são de valor incalculável no reino do Céu. O tempo gasto ensinando uma criança a respeito de assuntos espirituais por meio de instrução e exemplo é um investimento para a eternidade.
Pense Nisto
• Pense em estratégias de discipulado infantil ou juvenil e procure aplicá-las no contexto em que você vive.
• Que efeito você acha que a cultura popular está tendo no desenvolvimento espiritual das crianças?
Mãos à Bíblia
3. Leia Mateus 9:18-26; Marcos 7:24-30; Lucas 9:37-43; João 4:46-54. Quais são as semelhanças e diferenças no contexto de vida dessas crianças? Que lições podemos aprender com esses textos que podem nos ajudar hoje?
Uma semelhança impressionante é que, em todas essas histórias, pais desesperados foram a Jesus em busca de ajuda para os filhos. Qual pai não pode se identificar com esses relatos? Qual pai já não sentiu dor, angústia, medo e horror quando um filho estava muito doente ou até mesmo morrendo? Embora Jesus não tenha sido pai, em Sua humanidade, Ele Se identificava com os pais o suficiente para curar seus filhos. Em cada caso ocorreu a cura. Ele não desprezou ninguém. Assim, Seu amor, não apenas pelos pais, mas pelos filhos, foi claramente manifestado.

Greg Dawick | New South Wales, Austrália

Topo


Quarta

22 de janeiro


Fazendo nossa parte

Lição - Testemunho

"As crianças de oito, dez ou doze anos já têm idade suficiente para ser dirigidas ao tema da religião individual. Não ensinem seus filhos com referência a um tempo futuro em que eles tenham idade suficiente para se arrependerem e crerem na verdade. Caso sejam devidamente instruídas, crianças bem novas podem ter ideias corretas quanto a seu estado de pecadores e ao caminho da salvação por meio de Cristo" (Ellen G. White, Testemunhos Para a Igreja, v. 1, p. 400).
"Nas cenas finais da história deste mundo, muitas dessas crianças e jovens encherão de admiração o povo pelo seu testemunho em favor da verdade, o qual será dado de modo simples, no entanto com espírito e poder. Foi-lhes ensinado o temor do Senhor, e o coração se lhes abrandou por um estudo da Bíblia cuidadoso e acompanhado de oração. Num futuro não distante, muitas crianças serão revestidas do Espírito Santo, e farão na proclamação da verdade ao mundo uma obra que, naquela ocasião, não poderá ser realizada pelos membros mais idosos das igrejas" (Ellen G. White, Conselhos aos Pais, Professores e Estudantes, p. 166, 167).
"Depois de feito tudo o que é necessário, e eles [os filhos] revelarem ter compreendido o que significam conversão e batismo, e estarem verdadeiramente convertidos, devem ter permissão para ser batizados. Mas, repito, é preciso primeiramente agir como pastores fiéis na condução dos inexperientes pés no caminho estreito da obediência. Deus tem de operar nos pais para que possam dar aos filhos bom exemplo em relação ao amor, à cortesia, humildade cristã e inteira devoção a Cristo. Se, porém, for permitido que os filhos sejam batizados e depois forem deixados a viver de qualquer maneira, não sentindo obrigação de guiá-los pelo caminho estreito, vocês serão responsáveis pelo fracasso de sua fé, ânimo e interesse pela verdade" (Ellen G. White, Testemunhos Para a Igreja, v. 6, p. 94, 95).
Mãos à Bíblia
4. Leia Mateus 11:25, 26; 18:1-6, 10-14. Que verdades, não apenas sobre os filhos, mas sobre a fé em geral, podemos aprender com esses textos? Pense na seriedade da advertência de Jesus. Por que deveríamos tremer diante dela?
Jesus frequentemente recorreu à sinceridade das crianças para ilustrar Seu reino. A autenticidade, humildade, dependência e inocência das crianças de alguma forma captam a essência da vida cristã. Ao viver nossa fé, devemos almejar intensamente essa simplicidade e confiança. Como pais, ou como adultos em geral, devemos fazer todo o possível para incutir nas crianças o conhecimento de Deus e do Seu amor. A melhor maneira de fazer isso é revelar esse amor em nossa vida. E quem atrapalhar esse plano de Deus para as crianças incorre na ira dEle.
Pense Nisto
• Como podemos discipular as crianças de maneira que elas compreendam que Cristo pode ser real para elas?
• Existe um custo para preparar-se para "agir como pastores fiéis na condução dos inexperientes pés no caminho estreito da obediência"? Se sim, qual é ele?

Emmanuel St. Cloud | Norwalk, Connecticut, EUA

Topo


Quinta

23 de janeiro


No caminho certo

Lição - Aplicação

A melhor fase para discipular uma criança é quando ela ainda é pequena. Discipular uma criança requer paciência, propósito e criatividade. Os princípios a seguir precisam ser seguidos ao ensinar crianças a respeito de Cristo:
Treinamento apropriado. Provérbios 22:6 declara: "Instrua a criança segundo os objetivos que você tem para ela, e mesmo com o passar dos anos não se desviará deles". A Palavra de Deus é como um mapa ou um GPS que provê informações a respeito do caminho correto a seguir. Ministrar para crianças exige adultos maduros que queiram alcançá-las em seu estado presente, com a esperança de conduzi-las a um lugar melhor. Atividades como coral de crianças e Escola Cristã de Férias podem contribuir para que crianças e juvenis aceitem Cristo como seu Salvador e Senhor.
Modelagem. As crianças respondem mais ao que veem do que ao que escutam. Elas ficam confusas com abordagens do tipo: "Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço". Elas são excelentes imitadoras. Por isso, para seguir a Cristo, precisam vê-Lo exemplificado nos adultos ao seu redor. Isso também significa que elas precisam estar rodeadas por amigos em sua faixa etária que demonstrem um amor sincero por Jesus.
Escolhas. Explique às crianças a importância de tomar boas decisões. Uma criança a quem é dito o que fazer, mas sem explicar o porquê ou como fazer, irá sofrer mais tarde na vida. Permitir que as crianças façam suas escolhas de forma consciente lhes dá domínio de suas ações. É preciso ensinar canções, histórias e atividades que as ajude a escolher Jesus como seu melhor amigo e herói.
Pense Nisto
Por que as crianças devem ser ensinadas sobre Deus desde os primeiros anos de vida?
Mãos à Bíblia
5. Leia Marcos 10:13-16. O fato de que Cristo aceitou as crianças facilitou a aceitação dEle? Como devemos entender Sua repreensão aos discípulos? O que devemos aprender com esse relato sobre o relacionamento com as crianças?
Imagine-se sendo desprezado por adultos grosseiros e depois sendo abraçado pela amorosa e carinhosa pessoa de Jesus. Não é de admirar que as crianças O abraçaram. Nessa história temos um exemplo inestimável sobre a maneira pela qual as crianças devem ser tratadas pelos professos formadores de discípulos.

James McNeil II | Berrien Springs, Michigan, EUA

Topo


Sexta

24 de janeiro


A melhor tradução da Bíblia

Lição - Opinião

Já aconteceu de você dizer alguma coisa perto de uma criança pequena e ela começar a repetir aquilo sem parar? Quando meu primo tinha dois anos, ele repetia tudo que escutava. Não sabia o significado das palavras que estava falando, mas seu cérebro era como uma esponja, absorvendo cada partícula de informação assim como a ouvia. Bastava ele escutar a palavra uma única vez. E como as palavras eram ditas, geralmente, por pessoas conhecidas, ele acreditava que o que estavam falando fosse algo bom. Foi somente quando usou algumas palavras e foi censurado, que ele começou a perceber que algumas delas eram más.
As crianças aprendem mais rapidamente durante os três primeiros anos de vida. Durante esse tempo, o aprendizado delas, embora básico, é "fundamental na formação da sua arquitetura cerebral".* Mais impressionante ainda é ver que Deus, como Criador, sempre soube disso. "Instrua a criança segundo os objetivos que você tem para ela, e mesmo com o passar dos anos não se desviará deles" (Pv 22:6).
Mas como educar as crianças para o reino do Céu? Deus nos deu instruções sobre isso! "Que todas estas palavras que hoje lhe ordeno estejam em seu coração. Ensine-­as com persistência a seus filhos. Converse sobre elas quando estiver sentado em casa, quando estiver andando pelo caminho, quando se deitar e quando se levantar" (Dt 6:6 e 7).
Embora os pais sejam o exemplo principal para seus filhos, cada um de nós deve ser um exemplo vivo aos pequeninos em nossas igrejas. "Digo-lhes a verdade: Quem não receber o Reino de Deus como uma criança, nunca entrará nele" (Mc 10:15).
* United Nations, Facts for Life, http://factsforlifeglobal.org/03/ (acessado em 28 de novembro de 2012).
Pense Nisto
• Como sua igreja pode atender melhor as necessidades das crianças?
• Algumas pessoas acreditam que disciplinar crianças seja prejudicial. Qual é sua opinião a respeito disso? (Confira Pv 13:24; Hb 12:6.)
Mãos à obra
• Ajude a cuidar de uma classe dos menores na Escola Sabatina ou ofereça-se para contar a história das crianças no momento de adoração infantil, no culto de sábado.
• Faça uma lista de características que você aprecia nas crianças e considere de que forma essas particularidades devem estar presentes também nos adultos.
• Observe ou leia (em algum livro ou na internet) como os pássaros e animais cuidam de seus filhotes. Que comparações espirituais você pode fazer?
• Pergunte a um pastor, pai ou professor como ele lida com as crianças em seu ministério.

Aleksandra Marek | Sydney, Austrália

Topo