Header Ministério Pessoal

Ministério Pessoal

Curso Bíblico | o santo sábado - Texto

ESTUDO BÍBLICO
TEMA: O SANTO SÁBADO

 

Introdução

"O sábado representa a própria base da adoração divina, pois ensina uma verdade de modo impressionante, como nenhuma outra instituição o faz. A verdadeira base de toda adoração a Deus encontra-se na distinção entre o Criador e Suas criaturas. Esse grandioso fato jamais se poderá tornar obsoleto, nem deve jamais ser esquecido." (John N. Andrews)

Foi para conservar esta verdade para sempre diante da raça humana que Deus instituiu o sábado! É sobre essa verdade o estudo à seguir.
 

Após concluir a criação, o que Deus realizou no sétimo dia?

[leia Gênesis 2:1-3]
 

O que Deus realizou no sétimo dia

Deus descansou no sábado

Embora Deus não canse e não necessite descansar, Ele o fez pois tinha intenção que o homem descansasse. Ele deixou um exemplo que deveria ser observado pelos seres humanos.

Deus abençoou o sábado

Além de instituir o sábado, Deus o abençoou. Essa benção indicava que este dia especial havia sido reservado como um favor divino que traria bençãos para Suas criaturas.

Deus santificou o sábado

Santificar significa tornar algo sagrado ou santo, destinado a um uso especial. Ao santificar o sábado, Deus providenciou um modo para enriquecer o relacionamento divino-humano.
 

Qual é o sétimo dia da semana?

[leia Êxodo 20:8-11, Levítico 23:3 e Mateus 28:1]
 

Qual é a duração de um dia e consequentemente do sábado?

Em João 11:9 Jesus afirma que o dia (período iluminado) possui 12 horas, determinando assim que a soma dos períodos correspondentes ao dia e noite seriam literalmente as 24 que praticamos.

O texto de Marcos 1:32 afirma que o pôr-do-sol marca o início da "tarde"; Portanto um novo dia, conforme a definição.

O texto de Levítico 23:32 aponta que o início do sábado (assim como outros dias) ocorre ao entardecer.

O relato da criação também define o ciclo diário como "tarde e manhã", denotando a primeira parte como "tarde" (noite, escuridão) e a segunda parte como "manhã" (dia, claridade). Veja Gênesis 1:19
 

Com que propósito Deus estabeleceu o sábado como santo?

Memorial da criação

[leia Êxodo 20:8,11]
O quarto mandamento da lei moral de Deus que trata sobre o sábado afirma que Deus é criador. Logo, ao lembrar do sábado e santificá-lo, também lembramos e reconhecemos que Deus é criador e soberano sobre todas as Suas obras.

Memorial da redenção

[leia Deuteronômio 5:15]
Deus também definiu a guarda do sábado como recordação da salvação que ele proveu para Seu povo.

Selo ou marca distintiva

[leia Ezequiel 20:12,20]
A santificação do sábado é considerada um sinal ou uma aliança, que distingue o povo de Deus dos demais.

Deleite para o homem

[leia Isaías 58:13-14]
O sábado foi estabelecido para ser um dia de alegria, descanso, comunhão com Deus, convívio com a família e para promover o relacionamento com nosso próximo.
 

Quem deve guardar o sábado? Apenas os Judeus?

O sábado foi definido um dia santo na semana da criação, quando os únicos habitantes humanos do planeta eram Adão e Eva. Não havia distinção de nações ou raças e sua descendência (toda a humanidade) devia seguir esta observância.

A lei moral (10 mandamentos) possui abrangência universal [leia Eclesiastes 12:13] e não se restringe à qualquer grupo exclusivamente. Por extensão, a santificação do sábado como o quarto mandamento da lei moral também é universal.

Embora a prática de tratar o sábado como sagrado e dia especial de adoração tenha sido abandonada por quase todas as nações nos tempos antigos, com exceção dos Judeus, o convite permanece aberto para todos [leia Isaías 56:6-7].

O texto bíblico não discrimina um único povo como participante do sábado, mas todos os homens [leia Marcos 2:27]!
 

Sobre a perpetuidade do santo sábado, desde quando e até quando ele será observado?

Na criação do mundo (~4000 a.C.)

"Assim foram concluídos os céus e a terra, e tudo o que neles há. No sétimo dia Deus já havia concluído a obra que realizara, e nesse dia descansou. Abençoou Deus o sétimo dia e o santificou, porque nele descansou de toda a obra que realizara na criação." (Gênesis 2:1-3)

Na época do profeta Moisés (~1500 a.C.)

"No sexto dia recolheram o dobro: dois jarros para cada pessoa; e os líderes da comunidade foram contar isso a Moisés, que lhes explicou: Foi isto que o Senhor ordenou: ‘Amanhã será dia de descanso, sábado consagrado ao Senhor. Assem e cozinhem o que quiserem. Guardem o que sobrar até a manhã seguinte’" (Êxodo 16:22-23)

Na época do profeta Isaías (~700 a.C.)

"Se você vigiar seus pés para não profanar o sábado e para não fazer o que bem quiser em meu santo dia; se você chamar delícia o sábado e honroso o santo dia do Senhor, e se honrá-lo, deixando de seguir seu próprio caminho, de fazer o que bem quiser e de falar futilidades, então você terá no Senhor a sua alegria, e eu farei com que você cavalgue nos altos da terra e se banqueteie com a herança de Jacó, seu pai." (Isaías 58:13-14)

Na época dos profetas Jeremias e Ezequiel (~600 a.C.)

"Mas se vocês tiverem o cuidado de obedecer-me, diz o Senhor, e não fizerem passar carga alguma pelas portas desta cidade no sábado, mas guardarem o dia de sábado como dia consagrado, deixando de realizar nele todo e qualquer trabalho [...]" (Jeremias 17:24)
"Santifiquem os meus sábados, para que eles sejam um sinal entre nós. Então vocês saberão que eu sou o Senhor, o seu Deus." (Ezequiel 20:20)

Na época do profeta Neemias (~420 a.C.)

"Quando as sombras da tarde cobriram as portas de Jerusalém na véspera do sábado, ordenei que fossem fechadas e só fossem abertas depois que o sábado tivesse terminado. Coloquei alguns de meus homens de confiança junto às portas, para que nenhum carregamento pudesse ser introduzido no dia de sábado." (Neemias 13:19)

Na época de Jesus (~31 d.C.)

"Ele [Jesus] foi a Nazaré, onde havia sido criado, e no dia de sábado entrou na sinagoga, como era seu costume. E levantou-se para ler." (Lucas 4:16)
"Era o Dia da Preparação, e estava para começar o sábado. As mulheres que haviam acompanhado Jesus desde a Galiléia, seguiram José e viram o sepulcro, e como o corpo de Jesus fora colocado nele. Então, foram para casa e prepararam perfumes e especiarias aromáticas. E descansaram no sábado, em obediência ao mandamento." (Lucas 23:54-56)

Na época dos apóstolos e discípulos de Jesus (~60 d.C.)

"[...] No sábado, entraram na sinagoga e se assentaram. [...] Quando Paulo e Barnabé estavam saindo da sinagoga, o povo os convidou a falar mais a respeito dessas coisas no sábado seguinte." (Atos 13:14,42)
"No sábado saímos da cidade e fomos para a beira do rio, onde esperávamos encontrar um lugar de oração." (Atos 16:13)
"Segundo o seu costume, Paulo foi à sinagoga e por três sábados discutiu com eles com base nas Escrituras." (Atos 17:2)

Durante a eternidade no céu

"'Assim como os novos céus e a nova terra que vou criar serão duradouros diante de mim', declara o Senhor, 'assim serão duradouros os descendentes de vocês e o seu nome. De uma lua nova a outra e de um sábado a outro, toda a humanidade virá e se inclinará diante de mim', diz o Senhor." (Isaías 66:22-23)

Como você pode conferir pelas referências históricas, o santo sábado foi observado desde a criação do mundo e assim será eternamente.
 

Os sábados anuais

Além dos sábados semanais [leia Levítico 23:37-38], existiam sábados cerimoniais distribuídos durante o ano no calendário religioso israelita. Como as datas desses sábados eram baseadas no calendário lunar, podiam corresponder a qualquer dia da semana e não necessariamente aos sábados semanais.

Diferente do sábado semanal que foi instituído na semana da criação para toda a humanidade, os sábados anuais faziam parte das cerimônias e rituais judaicos estabelecidos no Monte Sinai por intermédio de Moisés, que apontavam para a futura vinda do Messias. Quando Jesus, o Messias, morreu na cruz as observâncias destes sábados anuais terminaram.

Os sábados anuais (também chamados de "reunião sagrada", "santa convocação" ou "santa assembléia") eram os seguintes:
  • O primeiro e o último dia da Festa dos Pães Asmos (Levítico 23:7-8)
  • O dia de Pentecostes (Levítico 23:21)
  • A Festa das Trombetas (Levítico 23:24)
  • O Dia da Expiação (Levítico 23:27)
  • O primeiro e o último dia da Festa dos tabernáculos (Levítico 23:35-36)
 

Mas e quanto à guarda do domingo como dia santo? Existe base bíblica para essa observância?

Embora a palavra "domingo" não apareça na bíblia, encontramos a expressão "primeiro dia da semana" com o mesmo significado. Ela é encontrada oito vezes em toda a Bíblia, e nenhuma delas aponta este dia como santo ou de adoração.
 
  1. "Depois do sábado, tendo começado o primeiro dia da semana, Maria Madalena e a outra Maria foram ver o sepulcro" (Mateus 28:1)
  2. "Quando terminou o sábado, Maria Madalena, Salomé e Maria, mãe de Tiago, compraram especiarias aromáticas para ungir o corpo de Jesus. No primeiro dia da semana, bem cedo, ao nascer do sol, elas se dirigiram ao sepulcro" (Marcos 16:1-2)
  3. "Quando Jesus ressuscitou, na madrugada do primeiro dia da semana, apareceu primeiramente a Maria Madalena, de quem havia expulsado sete demônios." (Marcos 16:9)
  4. "No primeiro dia da semana, de manhã bem cedo, as mulheres tomaram as especiarias aromáticas que haviam preparado e foram ao sepulcro." (Lucas 24:1)
  5. "No primeiro dia da semana, bem cedo, estando ainda escuro, Maria Madalena chegou ao sepulcro e viu que a pedra da entrada tinha sido removida." (João 20:1)
  6. "Ao cair da tarde daquele primeiro dia da semana, estando os discípulos reunidos a portas trancadas, por medo dos judeus, Jesus entrou, pôs-se no meio deles e disse: 'Paz seja com vocês!'" (João 20:19)
  7. "No primeiro dia da semana reunimo-nos para partir o pão, e Paulo falou ao povo. Pretendendo partir no dia seguinte, continuou falando até à meia-noite." (Atos 20:7)
  8. "Quanto à coleta para o povo de Deus, façam como ordenei às igrejas da Galácia. No primeiro dia da semana, cada um de vocês separe uma quantia, de acordo com a sua renda, reservando-a para que não seja preciso fazer coletas quando eu chegar." (1 Coríntios 16:1-2)
 

Se a bíblia não apoia o domingo como dia santo, porque a maioria dos cristãos guarda o domingo e não o sábado?

Em 274 d.C. o imperador Aureliano "mandou proclamar o deus-sol como o principal padroeiro do império e dedicou um templo a ele no Campo de Marte" (Veja na Wikipédia).
Deste modo o culto do Sol tornou-se religião oficial do Império Romano.

Ao culto do Sol foi dedicado o primeiro dia da semana. Essa conduta ainda está representada no nome deste dia em inglês (Sunday = "dia do sol") e em alemão (Sonntag = "dia do sol").

Com o passar do tempo o domingo como dia santo foi ganhando força, e ainda mais em 7 de março de 321 d.C. quando o imperador romano Constantino assinou um decreto que "apoiou à adoração do Deus-Sol (Sol Invicto) no Império Romano. As religiões dominantes nas regiões do império eram pagãs, e em Roma, era notável o Mitraísmo, especificamente o culto do Sol Invicto. Os adeptos do Mitraísmo se reuniam no domingo. Os judeus, que guardavam o sábado estavam sendo perseguidos sistematicamente neste momento, por causa das Guerras judaico-romanas" (Veja na Wikipédia)

Posteriormente, durante reuniões de bispos cristãos como no Concílio de Niceia em 325 d.C. (Veja na Wikipédia) e o Concílio de Laodicéia em 364 d.C. (Veja na Wikipédia) a guarda do domingo foi confirmada pela Igreja Católica, enquanto o santo sábado foi excomungado/abolido.

James Gibbons, arcebispo da Igreja Católica nos EUA, disse: “Podereis ler a Bíblia de Gênesis ao Apocalipse, e não encontrareis uma única linha que autorize a santificação do domingo. As Escrituras ordenam a observância religiosa do sábado, dia que nós nunca santificamos” (Faith of Our Fathers, pág. 89).

O próprio Catecismo Romano reconhece a atuação da Igreja Católica na mudança do dia santo ao declarar: “A Igreja de Deus, porém, achou conveniente transferir para o domingo a solene celebração do sábado.” (Catecismo Romano - 2ª edição, página 376)

Portanto, fica claro que não há base bíblica para a santificação do domingo, enquanto há dezenas de referências que sustentam à santificação do sábado. A Igreja Católica, quando uniu-se com o Império Romano (dando origem a Igreja Católica Romana) assimilou práticas pagãs e idólatras que são contrárias a verdades bíblicas. Uma destas contradições abraçadas foi a santificação do domingo como substituição do sábado estabelecido pelo próprio Deus.

 

A igreja, através de seus concílios, bispos ou papas possuem autoridade para mudar as leis de Deus, como no caso da santificação do domingo ao invés do sábado?

[leia Deuteronômio 4:2, Mateus 5:17-19 e Salmos 111:7-8]
 

Quando a lei de Deus é contrária à lei ou tradições criadas pelos homens, qual delas deve ser obedecida?

[leia Marcos 7:7-9, Tito 1:13-14 e Atos 5:29]
 

Recapitulação

Neste estudo bíblico, você aprendeu o seguinte sobre o santo sábado:
  • No sétimo dia da criação do mundo Deus estabeleceu o sábado. Ele descansou, abençoou e santificou o sábado para benefício da raça humana e aperfeiçoamento da relação divino-humana
  • O sábado é um lembrete da criação do homem e sua prometida redenção, assim como sinaliza uma aliança entre Deus e Seu povo
  • O sábado deve ser santificado por toda a humanidade, e não apenas pelos judeus ou israelitas. Como parte dos 10 mandamentos, sua abrangência é universal e irrevogável
  • O sábado foi guardado desde a criação do mundo através das épocas dos profetas, de Jesus, dos apóstolos e assim também será na eternidade
  • A Bíblia descreve os sábados anuais como cerimônias israelitas que apontavam a vinda futura do Messias, que não correspondem ao sábado semanal definido na criação do mundo
  • Enquanto há dezenas de textos bíblicos enfatizando o sábado como santo, não há nenhum texto sequer na bíblia que aponte o domingo como dia de adoração ou sagrado
  • Por influência da união entre igreja-estado, a Igreja Católica Romana substituiu a guarda do sábado pelo domingo para coincidir com o dia de adoração do sol
  • A lei moral de Deus é imutável. Nem mesmo a igreja ou seus representantes possuem autoridade para alterá-la
  • Quando houver um conflito entre as tradições humanas e a lei de Deus, devemos sempre obedecer a lei divina