Header Ministério Pessoal

Ministério Pessoal

Curso Bíblico | a lei de Deus - Texto

ESTUDO BÍBLICO
TEMA: A LEI DE DEUS

 

Introdução

Imagine a seguinte situação: Você é intimado a comparecer perante um tribunal, acusado de violar leis que podem condená-lo à prisão.

Durante o julgamento, no momento de sua defesa, você argumenta ao juiz que não conhecia aquela determinada lei e portanto não sabia daquele crime e que finalmente devia ser considerado inocente.

No fim do julgamento, você recebe a notícia que foi condenado culpado baseado no artigo 3º da lei 4.657 (Lei de Introdução ao Código Civil Brasileiro) que diz: "Ninguém se escusa de cumprir a lei, alegando que não a conhece"!

Se como cidadãos de nosso país temos a obrigação de conhecer e obedecer as leis vigentes, o que dizer de nossas obrigações com a Lei Divina?

Neste estudo, você conhecerá a Lei Divina descrita na Bíblia Sagrada e seus deveres que serão julgados por Deus no juízo final.
 

Quais são as leis instruídas por Deus encontradas na Bíblia?

Lei Civil

[Êxodo 21-22]
Conjunto de normas que regia o modo como os Hebreus viviam em comunidade. Exemplo: Código criminal, política de comércio, regras de hospitalidade e programas sociais.

Lei de Saúde

[Levítico 11 e Deuteronômio 14]
Conjunto de orientações sobre cuidados com a saúde e higiene. Exemplo: Alimentos puros e impuros, cuidados com doentes e mortos.

Lei Cerimonial

[Levítico 1-8]
Instruções sobre o Tabernáculo; suas cerimônias e ofertas que apontavam para a futura morte expiatória de Cristo como Cordeiro de Deus. Exemplo: Oferta pelo pecado.

Lei Moral

[Êxodo 20]
Também conhecida como "Os 10 mandamentos" ou "Decálogo", é a expressão do caráter de Deus e foi escrita pelo dedo de Deus em duas tábuas de pedra que foram entregues à Moisés.
 

Quais são os mandamentos da lei moral? Quem é seu autor?

[leia Êxodo 20:1-17 e Êxodo 31:18]
 

Como estão "organizados" os dez mandamentos?

[leia Mateus 22:37-40]
 

Quais são os atributos da Lei Divina?

[leia Salmos 19:7, Salmos 119:151, Salmo 119:172, Romanos 7:12 e Eclesiastes 12:13]
 

O propósito da Lei Divina

Definir o que é pecado

[leia 1 João 3:4 e Romanos 7:7]

Conscientizar o pecador de sua condição

[leia Romanos 3:20 e Romanos 3:23]

Conduzir o pecador à Jesus, que pode salvá-lo

[leia Gálatas 3:24, 1 João 1:7-9 e Romanos 6:23]

Proporcionar paz, liberdade e felicidade aos que obedecem a lei

[leia Salmos 119:45, Salmos 119:165 e Tiago 1:25]
 

A amplitude e vigência da Lei Divina

Quem está sujeito à Lei Divina?

Todos os homens serão julgados por Deus, de acordo com a lei que Ele estabeleceu como norma de vida. Não há restrições por nação, etnia ou época.
[leia Eclesiastes 12:13, 2 Coríntios 5:10 e Apocalipse 14:6-7]

Quando foi estabelecida a Lei Divina? Quando ela deixará de vigorar ou perderá seu valor?

Assim como o próprio Deus, a Lei é eterna! Encontramos na Bíblia Sagrada a Lei sendo obedecida desde o início da história do homem até seu final.
[leia Salmos 111:7-8, Eclesiastes 3:14, Gênesis 26:5, Êxodo 18:16 e Apocalipse 14:12]

A Lei de Deus mudou ou pode ser alterada?

A Lei é imutável e nem mesmo um traço pode ou será alterado.
[leia Mateus 5:17-18 e Apocalipse 22:18-19]
 

A lei foi abolida na cruz?

Quando Cristo morreu, cumpriu os simbolismos proféticos do sistema sacrifical, tipificados na lei cerimonial. Estava profetizado que a morte do Messias faria "cessar o sacrifício e a oferta de manjares" [leia Daniel 9:27]. Na morte de Cristo, o véu do templo foi rasgado de alto a baixo, em duas partes, através de meios sobrenaturais [leia Mateus 27:51], indicando o fim do significado espiritual dos serviços do templo.

Na morte de Cristo, a vigência da lei cerimonial chegou ao fim. Embora tivessem papel vital antes da morte de Cristo, as leis cerimoniais serviram a um propósito temporário e foram concedidas ao povo de Deus até a vinda de Cristo que morreria como verdadeiro Cordeiro de Deus. Seu sacrifício expiatório providenciou perdão para todos os pecados. Esse ato cancelou "o escrito de dívida, que era contra nós e que constava de ordenanças, o qual nos era prejudicial, removeu-o inteiramente, encravando-o na cruz" [leia Colossenses 2:13-15].

Do modo como foram interpretadas pelos judeus, as leis cerimoniais tornaram-se uma barreira entre eles e as demais nações e um obstáculo à missão que lhes fora atribuída. A morte de Cristo aboliu essa "lei de mandamentos que continha ordenanças", derrubando o "muro de separação" existente entre gentios e judeus, criando assim uma nova família de crentes, reconciliados em "um só corpo com Deus, por intermédio da cruz" [leia Efésios 2:14-16].

Sendo a lei moral dos Dez Mandamentos um reflexo do caráter de Deus, seus princípios não são temporários ou dependentes das situações; são absolutos, imutáveis e permanecem válidos para a humanidade.

A morte de Cristo exaltou a lei, evidenciando sua autoridade universal. Se os dez mandamentos (lei moral) pudessem ser alterados, Ele não precisaria morrer. Como a lei é absoluta e imutável, a morte era necessária como cumprimento da penalidade imposta [leia Romanos 6:23]. Essa exigência foi plenamente satisfeita pela morte de Cristo na cruz, tornando possível a vida eterna a todos aqueles que aceitam o este grande sacrifício.

Ao mesmo tempo em que a morte de Cristo fez cessar a autoridade da lei cerimonial, ela confirmou a autoridade dos Dez Mandamentos. Cristo removeu a maldição da lei, libertando assim os crentes de sua condenação [leia Gálatas 3:13]. Porém, não significou que a lei foi abolida, autorizando-nos a violar os seus princípios. Diversas referências encontradas na Bíblia Sagrada com relação à perpetuidade da lei contradizem esse ponto de vista.
 

De acordo com a Bíblia, crer em Jesus Cristo nos libera do dever de obedecer a Lei?

[leia Romanos 3:31, 1 João 2:5-6, João 15:10, 1 João 5:2-3, Mateus 19:16-17 e Mateus 7:21]
 

É suficiente obedecer apenas uma parte da lei?

[leia Tiago 2:10-11]
 

Substituição da Lei Divina

Embora a lei de Deus seja simples, clara e benéfica aos que a obedecem, alguns homens e suas instituição trataram de mudar seus estatutos a fim de satisfazer seus interesses.
[leia Romanos 1:25 e Marcos 7:6-9,13]

Esta prática é rejeitada por Deus, que nos adverte através das Escrituras Sagradas a cuidar para que não sejamos enganados e substituamos a lei divina por leis criadas por homens!
[leia Tito 1:13-14 e Atos 5:29]

Para nos mantermos fiéis às Leis de Deus é preciso estudo pessoal da Bíblia e sempre conferir se o que está sendo ensinado está de acordo com a palavra de Deus. Se não estiver, rejeite o falso ensinamento apresentado.
[leia Atos 17:11 e 1 João 2:3-4]
 

Recapitulação

Neste estudo bíblico, aprendemos o seguinte sobre a Lei de Deus:
  • As leis divinas estão divididas em: Lei Moral, Lei Cerimonial, Lei Civil e Lei de Saúde.
  • Deus escreveu os 10 mandamentos (lei moral) com seu próprio dedo.
  • A lei moral pode ser resumida em amar a Deus e amar o próximo.
  • Os propósitos da lei divina são: Definir o que é pecado, Conscientizar o pecador de sua condição, Conduzir o pecador à Jesus e Proporcionar felicidade àqueles que obedecem.
  • Todos devemos prestar contas à Deus no dia do juízo, com base em Sua lei.
  • A Lei Divina é eterna como o próprio Deus e não pode ser anulada ou alterada.
  • A lei moral não foi abolida na cruz, mas confirmada.
  • A lei cerimonial foi cumprida com a morte de Cristo na cruz.
  • Jesus não anulou nenhuma lei. Ao contrário, ele as cumpriu e exige que façamos o mesmo.
  • A fé em Jesus não remove nosso dever de obedecer a lei.
  • Não basta obedecer apenas uma parte da lei. É preciso obedecê-la por completo.
  • Alguns tentam substituir os mandamentos divinos por idéias humanas, mas este procedimento é repreendido por Deus.
  • Para guardar-nos de ser enganados por falsos ensinadores, devemos pesquisar na Bíblia Sagrada sobre as verdades apresentadas. Jamais devemos aceitar um ensino que contradiz o ensino Bíblico.

Comentários: