Header Ancionato

Ancionato

Quem mexeu em nossas doutrinas?

Teólogo explica a necessidade de periodicamente a igreja revisar sua declaração de crenças
(Data base da postagem original: Jul/2015)
mudancas-crencas-Concilio-Anual-2015.jpg

Mudanças editoriais nas crenças adventistas, discutidas na assembleia em San Antonio, foram propostas durante o Concílio Anual realizado na sede mundial da igreja no ano passado. Foto: Ansel Oliver

Um dos importantes itens da agenda da assembleia mundial em San Antonio (EUA) é a revisão da declaração de crenças fundamentais da Igreja Adventista do Sétimo Dia, cuja publicação em português se intitula Nisto Cremos. Algumas das 28 crenças fundamentais que figuram nesse livro foram objeto de discussão na manhã e tarde de hoje, dia 6 de julho de 2015. As revisões mais importantes, porém, ocorreram em duas crenças: “A Criação” (nº 6) e “Matrimônio e Família” (nº 23).

É possível que você, se for um adventista, tenha se incomodado com a ideia de que a assembleia poderia estar votando a “mudança das doutrinas da igreja”. Embora essa inquietação seja justificável num primeiro momento, ao você entender como se dá esse processo, poderá constatar a seriedade com que a Igreja Adventista lida com as verdades bíblicas e confirmar sua confiança na Palavra de Deus. Para tanto, é preciso responder a duas perguntas: (1) o que é uma crença?; e (2) o que é uma declaração de crenças? Espero, ao fim desse artigo, ter explicado também se uma crença e uma declaração de crença podem mudar.

Em favor dos estudantes que guardam o sábado

Projeto de lei que tramita no Senado Federal avança mais uma etapa
estudantes---créditos-Fotolia

Emenda substitutiva de projeto de lei que prevê a prestação alternativa é aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça do Senado Federal. Créditos da imagem: Fotolia

Uma legislação favorável aos estudantes que guardam o sábado avançou mais uma etapa. Na última quarta-feira, 15 de junho, a Comissão de Constituição e Justiça do Senado Federal aprovou o substitutivo do Projeto de Lei Complementar (PLC) 130/2009, que prevê a prestação alternativa.

De acordo com o deputado Ruben Otoni, autor da proposta original (clique para ver o que mudou no texto do PLC), o objetivo é regulamentar a situação não só dos adventistas, mas de batistas do sétimo dia, judeus e adeptos de outras religiões que guardam o período entre o pôr do sol da sexta-feira até o pôr do sol do sábado.

Em defesa da fé

Goleiro que virou notícia nesta semana por decidir não treinar nem jogar aos sábados diz que não teme as consequências dessa escolha
Jornal-Lance-fala-sobre-decisão-de-goleiro-adventista-de-não-jogar-ou-treinar-aos-sábados-por-ser-adventista

Caso do goleiro que se tornou adventista e rejeitou oportunidades para se manter fiel aos seus princípios ganhou repercussão nacional.

Em treze anos de carreira no futebol profissional, Carlos Vítor da Costa Ressurreição nunca esteve tão exposto à mídia quanto nos últimos dias. Titular do Londrina Esporte Clube, o goleiro Vítor, ídolo da torcida do time paranaense, foi manchete nos principais sites, jornais e programas esportivos brasileiros depois de revelar que, por suas convicções religiosas, não iria treinar nem jogar aos sábados. “Durante todos esses anos de dedicação e trabalho no futebol, nunca tomei uma decisão que repercutiu tanto quanto agora. Uma simples decisão de obedecer a Deus ganhou uma enorme proporção”, disse o jogador ao comentar as notícias da semana.

Vítor foi batizado na Igreja Adventista do bairro Pituba, em Salvador (BA), no dia 27 de dezembro de 2015. Desde então, decidiu que sua nova fé determinaria os rumos de sua vida dentro e fora de campo. Essa convicção o levou a rejeitar uma proposta de disputar a Série A do Campeonato Brasileiro pelo Chapecoense, ganhando quase duas vezes mais no clube catarinense do que ele recebe atualmente no Londrina. Como noticiou o site do jornal Lance!, as negociações não avançaram porque Vítor deixou claro que não poderia jogar nem treinar entre o pôr da sexta-feira e o de sábado.